PORQUE NÃO PERCEBI QUE MINHA EMPRESA ESTAVA QUEBRANDO?

No vasto mundo dos indicadores de desempenho, é comum que o empreendedor acabe confundindo aqueles que devem ser prioritários. A partir de hoje, vamos lançar uma luz sobre eles. Para isso, vamos partir da visão macro da empresa, a partir de seu princípio básico: a busca do resultado e seus mais elementares instrumentos de aferição.


Toda empresa, independente do porte, divide-se em dois grandes aspectos que acabam por afetar-se mutuamente. O aspecto econômico da empresa é tratado nos demonstrativos contábeis nos demonstrativos de resultados (DRE) e os aspectos financeiros são tratados no balanço patrimonial (BP). Basicamente, empresas que apresentam resultados positivos melhoram sua posição financeira ao longo do tempo e empresas que apresentam prejuízos deterioram suas posições financeiras com o tempo.

Portanto, a gestão através do caixa não é uma escolha inteligente, pois quando as dificuldades aparecem os recursos já foram drenados pelos prejuízos. O correto é estabelecer uma rotina de análise de demonstrativo de resultado, onde você pode corrigir eventuais desvios de rota antes que as dificuldades de caixa apareçam. Minha sugestão é de que a periodicidade seja mensal, para se criar a cultura do debate, do comprometimento com o resultado e da correção de rumos. Pequenas correções de rotas ao longo do tempo farão grande diferença.

No próximo post, vamos tratar dos três indicadores vitais do DRE que sua empresa tem que monitorar para ir direto ao ponto!


Posts Em Destaque
Posts Recentes